Presidente – Gyanini Jácomo Candido do Prado
Representante Docente – Sebastião Marques Gonçalves
Representante da Comunidade – Junior Leite Borges
Representante Discente – Michelly Moreira
Representante Técnico Administrativo – Prof. Lidianny Gramond Pereira

 

Avaliação das Instituições de Ensino Superior

O SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior) foi criado pela Lei n o
10.861/2004, e é o responsável pela análise das instituições de ensino superior, dos cursos
superiores e do desempenho dos estudantes. Esta Lei definiu que a avaliação da educação
superior será dividida em três processos distintos e articulados:

a) Avaliação Interna – trata-se de uma auto avaliação desenvolvida pela própria
instituição de ensino através da CPA (Comissão Própria de Avaliação);
b) Avaliação Externa – realizada pelo MEC/INEP;
c) Avaliação dos Acadêmicos dos Cursos Superiores – ENADE (Exame Nacional de
Desempenho dos Estudantes).

As Avaliações Interna e dos Cursos Superiores (ENADE) são desenvolvidas
exclusivamente pelo INEP/MEC. Já a Avaliação Interna ou Auto avaliação deve ser realizada
pelas instituições de ensino através de um órgão chamado CPA.

O que é a CPA (Comissão Própria de Avaliação)
A CPA foi instituída pela Faculdade Noroeste com o objetivo de implantar, coordenar e articular
o processo interno de avaliação, bem como sistematizar e disponibilizar informações e dados
ao INEP/MEC. A CPA é composta por representantes de todos os segmentos da comunidade
universitária (professores, estudantes, técnicos – administrativos,) e da sociedade civil
organizada.

Atribuições da CPA
a) Implementar os processos e procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação
da Educação Superior (SINAES), no âmbito da instituição;
b) Conduzir os processos de auto-avaliação da FAN;
c) Constituir núcleos temáticos e núcleos de trabalho que se façam necessários ao
cumprimento de suas funções;
d) Sistematizar e prestar as informações solicitadas pelo INEP;
e) Preparar relatórios anuais, pareceres e, quando for necessário, recomendações a serem
encaminhadas aos órgãos competentes da faculdade;
f) Encaminhar propostas relativas ao desenvolvimento da FAN, com base nas análises
produzidas no processo de avaliação;
g) Divulgar na comunidade acadêmica a sua composição, suas propostas e agenda de
atividades;
h) Coordenar o processo para composição dos novos membros da CPA.

Metodologia
A avaliação institucional será desenvolvida de forma participativa e contínua ao longo
do ano letivo. Ela será coordenada de forma integrada pela CPA, com a participação de toda a
comunidade acadêmica (alunos, professores, funcionários técnico-administrativos e gestores).

Etapas da Avaliação:
Sensibilização – será o primeiro momento do processo de avaliação de cada uma das
seis etapas mencionadas acima. Sua realização será de responsabilidade dos membros da CPA
e dos Coordenadores dos Cursos que utilizarão faixas, panfletos, carro de som, camisetas,
brindes, etc.

Coleta de Dados – será realizada por meio de Enquêtes disponibilizadas no Portal
Universitário da Faculdade, a ser respondida por alunos, professores, coordenadores e
funcionários técnico-administrativos. O principal objetivo das enquetes é identificar como cada
uma das categorias avalia cada um dos setores e atividades acadêmicas desenvolvidas na
instituição. Além das enquêtes, será feito levantamento de dados sobre cada um dos setores
avaliados, com o objetivo de subsidiar a análise dos resultados da avaliação.

Sistematização e análise dos dados – esta será uma das atividades mais complexas,
visto que poderá incorrer na necessidade de levantar novos dados para facilitar a
compreensão dos resultados da avaliação. As análises serão feitas, sobretudo, por meio de
cruzamento de dados das enquetes respondidas pelos alunos, professores, coordenadores e
funcionários técnico-administrativos, com dados que demonstram condições de realização das atividades, bem como a características específicas das atividades realizadas por cada um dos
setores avaliados.

Publicação dos resultados – A publicidade dos resultados, além de dar legitimidade ao
processo, pode contribuir com a construção da cultura institucional de avaliação, uma vez que
a comunidade acadêmica tem oportunidade de conhecer as fragilidades e as potencialidades
da instituição da qual faz parte. Além disso, os participantes envolvidos diretamente no
processo de avaliação podem perceber nos resultados o seu ponto de vista a instituição.

Debate e encaminhamento das ações – que proporcionem a melhoria da qualidade das
atividades acadêmicas. A participação de representantes de todas as categorias envolvidas nas
atividades da instituição é importantíssima, não só porque todos podem ser beneficiados com
as melhorias, mas porque há interesses diversos envolvidos e cada um poderá contribuir com
sugestões que subsidiem a elaboração/execução de um Plano de Melhoria mais eficiente.

Após a realização de cada uma das etapas detalhadas acima, todos os resultados das
avaliações serão consolidados em um único relatório (Relatório de Auto-Avaliação
Institucional).